20 de outubro de 2012

A parábola do filho pródigo [John Macarthur] (Parte 01)



Comprei um livro bem legal, chama-se A parábola do filho pródigo de John Macarthur da Editora Tomas Nelson Brasil. Vou fazer a leitura deste livro e jogar as partes que achar relevante aqui. A minha ideia é crescer no estudo bíblico enquanto compartilho mais do meu querido Pai aqui. O livro trata de uma análise completa da história mais importante que Jesus contou. A maior parte das pessoas está de certa forma, familiarizada com a parábola do filho pródigo, encontrada em Lucas 15:11 - 32. Até mesmo aqueles que não sabem quase nada da Bíblia conhecem alguma coisa sobre esse relato. 

De todas as parábolas de Jesus, é a mais ricamente detalhada, poderosamente dramática e intensamente pessoal. Os personagens são conhecidos, por isso é fácil para as pessoas se identificarem com o pródigo, sentirem a dor do pai e, ainda assim (até certo ponto), se solidarizar com o irmão mais velho - tudo ao mesmo tempo. A história é memorável em muitos aspectos, e um dos mais importantes é a imagem de rudeza que Jesus invoca ao contá-la. A descrição do pródigo como alguém tão desesperadamente faminto, disposto a comer cascas varridas da comida de porcos, por exemplo, retrata de maneira quase virtual a devassidão do jovem, e o faz de uma forma que soava extremamente repugnante aos judeus que a ouviram. 

Outra coisa que torna essa história inesquecível é a pungência demonstrada na reação do pai quando o filho perdido retorna. A alegria do pai estava repleta de terna compaixão. O filho mais novo, que tinha partido de maneira negligente e insolente, despedaçando as esperanças de seu pai para ele, voltou um homem completamente quebrantado. Mesmo tendo o coração partido e, sem dúvida, sentindo-se muito magoado por causa da rebelião tola do filho mais novo, o pai expressou a mais pura felicidade, desprovida de qualquer sinal de amargura, quando o filho errante chegou em casa, arrastando-se pelo caminho. Quem não se emocionaria com um amor como esse? 

No entanto, o filho mais velho da parábola não ficou nem um pouco comovido pelo amor de seu pai. Seu duro ressentimento ao testemunhar da misericórdia do pai em relação ao irmão mais novo contrasta com o tema dominante de Lucas 15, que é a grande alegria no céu pelo retorno dos perdidos. Assim, a mensagem central da parábola é um apelo urgente e sóbrio aos ouvintes cujo coração se endureceu para que suas atitudes espelhem as do irmão mais velho. A parábola do filho pródigo não é uma mensagem bonitinha de autoajuda, inventada para nos sentirmos bem, mas uma poderosa convocação que inclui um alerta muito importante. 

Não podemos permitir que isso escape à nossa compreensão nem prejudique nosso apreço em relação a essa amada parábola. Infelizmente, a lição do irmão mais velho costuma ser negligenciada em muitas oportunidades nas quais essa história é contada. Mesmo assim, continua sendo a razão principal pela qual Jesus contou. [John Macarthur]

Nenhum comentário: